sexta-feira, 24 de março de 2017

Tate no Yuusha no Nariagari

Olá pessoas!
Quem acompanha o meu blog sabe que entre 2015 e 2016 eu meio que dei uma sumida (só ver o histórico de postagens). Foram anos interessantes para mim, pois eu narrei menos do que o de costume, mas joguei e li muita coisa (inclusive foi quando me aprofundei mais na criação do Tio20 RPG). Entre as coisas que passei a ler, descobri um novo tipo de leitura que me agradou bastante: as Light Novel. Para quem não conhece, eu falei um pouco sobre light novel (ou apenas LN) nesta postagem. Dentre as que cheguei a ler, uma me chamou bastante a atenção. Estou falando de Tate no Yuusha no Nariagari, ou também conhecida como The Rising of the Shield Hero (traduzindo ficaria algo como “A Ascensão do Herói do Escudo”).

Apresentação
Tate no Yuusha no Nariagari, escrito por Aneko Yusagi, foi publicada originalmente como uma web novel, tendo seus direitos sido adquiridos pela editora Media Factory para publicação da sua versão em LN em 2013, contando com 16 volumes até o momento e ainda estando em publicação, sendo belissimamente ilustrada por Minami Seira. No EUA, ela vem sendo publicada pela editora One Peace Books, que é por onde venho acompanhando através de e-book (vendido pela Amazon ou na loja virtual da Kobo). Ela também conta com uma adaptação em mangá que resume bem a história da LN, mas peca em apresentar alguns detalhes interessantes da história (bem comum em adaptações deste tipo). Não tenho certeza se a obra possui CDs Drama, mas estou aguardando ansioso pelo anúncio da sua adaptação para anime (por hora, só está no sonho mesmo).


História
A trama gira em torno de Iwatani Naofumi, um universitário de 20 anos que, ao ler um livro antigo numa biblioteca, vê-se transportado para um mundo de fantasia muito similar ao que ele estava lendo e, juntamente com outras três pessoas, precisa se tornar um dos lendários heróis a fim de salvar o mundo da destruição. Porém, a aventura começa mal quando ele se vê preso a mais inútil das armas lendárias: o Escudo. Para piorar, o mundo possui um sistema de regras fantásticas similar a games, onde lhe é proibido usar qualquer outra arma que não seja a sua arma lendária e ele não pode evoluir seu nível caso esteja nas proximidades de outro herói. Como para evoluir ele precisa derrotar monstros, sua situação se complica bastante uma vez que ele só consegue defender.

A fim de auxiliar os heróis, o rei local decide convocar aventureiros, mas devido a sua falta de carisma e inexperiência, Naofumi consegue apenas a ajuda de uma pessoa, uma bela e jovem mulher. Entretanto, logo após seu primeiro dia de exploração neste novo mundo, Naofumi se vê traído, acusado falsamente de um crime hediondo e roubado pela sua própria companheira. Sendo tratado como escória pelas pessoas do reino e demais heróis, ele se vê obrigado a seguir seu caminho sozinho e desamparado, sem poder fugir do seu destino como herói e levando consigo um desejo ardente de vingança. E é assim que a sua lenda começa.


Impressões
Tate no Yuusha segue aquele velho clichê: uma pessoa é levada a um mundo de fantasia sem querer a fim de se tornar O Grande Herói. Naofumi até comenta sobre a sua empolgação, como um otaku, com a possibilidade de ter uma aventura como as que ele sempre leu. Até aí nada demais, mas a história tem uma virada de 180 graus logo no início quando ele se depara com a mais baixa e terrível traição. A reação de Naofumi ao que lhe ocorre é muito verossímil e a experiência molda a sua personalidade, afetando todas as suas escolhas daquele ponto em diante. Além disso, a história foca em vários momentos nas emoções e reações do nosso protagonista, uma vez que ela é contada na primeira pessoa, fazendo-nos sentir mais apegados à personagem e experimentando com ele tudo que há de novo e inesperado naquele mundo estranho.

Para quem é gamer ou saudosista (o meu caso), a história ganha outra cor com seus muitos elementos similares e referentes a JRPGs, indo do famigerado Final Fantasy e passando por obras como Seiken Densetsu e Grandia. Este elemento em si me cativou bastante, especialmente quando Naofumi se vê obrigado a explorar a fundo alguns deles para conseguir sobreviver e se tornar mais forte, como produzir itens a partir de materiais obtidos de monstros e encontrados pelo mundo, bem como sair pelo reino a fora como um mercador e médico itinerante (o que me lembra demais um RPG que já comentei por aqui, o Ryuutama). As próprias emoções dele se manifestam como parte do seu poder, principalmente relacionado ao seu ódio e desejo de vingança, meio que o corrompendo.


Resumindo é isso! Tate no Yuusha é uma obra sensacional e fica aqui a minha recomendação para que todos possam ler. Infelizmente ele só tem em inglês e japonês, mas a leitura é simples e fácil para quem tem dificuldade com o idioma. Há também na internet uma tradução para o inglês, autorizada pelo autor, da web novel, mas a partir do 4º Volume a história da LN começa a apresentar mudanças e correções com relação a publicação original. Pessoalmente eu comecei a ler a web novel traduzida e, após algumas dezenas de capítulos, gostei tanto da história que achei válido adquirir os e-books e ler a trama oficial, sendo esta a minha dica para quem começar também.

Até and Bye...